quarta-feira, outubro 25, 2006

Há 3 anos foi assim...

Hoje é um dia especial, fazemos 3 anos de casados.


E há 3 anos, era sábado, o tempo apresentava-se feio, chuvoso, frio e desconcertante (pior que hoje, mas melhor do que ontem, embora estivess mais frio). Eu sempre fui muito friorenta e como poderão ver, o meu vestido não tinha mangas, apesar das luvas compridas e do véu, não consegui evitar tremer de frio em certas ocasiões.
Mas no geral correu quase tudo bem e digo quase tudo porque houve dois estroinas que não se portaram lá muito bem no final do copo d'água… um resolveu roubar a bandeira de Portugal que deve estar sempre presente na mesa do conservador, quando faz os casamentos, que depois tivemos de devolver, claro… é o que as bezanas fazem… e o outro, ainda fez pior, lembrou-se de dar uma tareia à namorada no parque de estacionamento, o que havemos de fazer? Bem, actualmente são pessoas com quem já não lidamos, mas estas coisas não se esquecem, né? Pelo menos não num dia tão importante.


E agora um pouco da Nossa História:


O nosso namoro começou depois de uma amizade. Tal como já havia mencionado, quando eu vi o L. pela primeira vez, foi no aniversário da minha cunhada em 2000, pois o meu irmão e ela tinham estado de férias em Palma de Maiorca e tinham-no conhecido mais a esposa. Durante o jantar nem reparei na presença dele, sei que depois fomos até ao Tangaroa e lembro que eles nem entraram, pois o bar estava cheio e tivemos de aguardar por mesa, mas sei que à porta, falámos um pouco e recordo-me de depois ter dito à minha prima “Este tipo é giro, é pena é ser casado!” Mas isso não passou de apenas um comentário, feito por quem não tem mais nada que fazer! :P

Entretanto eu comecei a dar aulas no Algarve e mudei-me para lá a meio de Setembro e já quase no final do ano a minha cunhada comentou comigo que “aquele casal que tinham conhecido em Palma de Maiorca se ia divorciar”. Contou-me que até tinham havido tentativas de reconciliação, mas que não tinham dado em nada e que iam mesmo separar-se.

Já em Junho de 2001, um fim-de-semana prolongado com um feriado a uma 5ª feira ditou que o meu irmão e a minha cunhada quisessem ir ao Algarve passar esses dias e convidaram o L. para ir com eles. A casa onde eu estava a morar é a nossa casa de férias, que pertence aos meus avós e portanto iríamos ficar todos na mesma casa. Apesar de ter lá outros amigos, daqui de Lisboa, pude repartir o meu tempo entre todos e comecei a conhecer melhor o L. que até aí não passava de um simples conhecido. O que é certo é que nos demos desde logo muito bem e houve logo muita cumplicidade. Desde então, nunca mais deixámos de nos falar, trocávamos sms’s, às vezes ele ligava-me (mais do que eu a ele), quando eu vinha a Lisboa às vezes íamos tomar um café, mas tudo não passava de amizade.
Ele andava envolvido com outra pessoa, que não “batia muito bem da bola” e pouco antes de iniciarmos a nossa relação ele estava a tentar acabar tudo, mas ela dificultava-lhe sempre as coisas… E era comigo que ele desabafa estas coisas, por isso como é que eu ia desconfiar que ele sentia alguma coisa por mim?


Um dia, já em 2002, deve ter sido mais ou menos em Maio, estava eu em Lisboa de fim-de-semana e ia jantar na casa da C. juntamente com o meu grupinho dessa altura, quando ele me telefona para ir jantar com ele. Disse-lhe que não podia, mas que a minha amiga não se importava que ele viesse jantar connosco, pois havia comida que chegasse para mais um. Ele disse que só podia ir se levasse com ele um amigo, pois não ia deixá-lo sozinho. E foi mais um aceite no grupo.
Não me perguntem como foi aquilo mas sei que a esta altura esse amigo dele, está junto com uma das minhas amigas que estava também nesse jantar e também têm um menino a caminho (ela tem mais 3 semanas de gravidez do que eu).
A partir dali sei que o L. começou a sair com aquele meu grupo de amigas, levando sempre alguns amigos e no meio disto, há um outro casal que casou este Verão e houve ainda mais alguns envolvimentos que acabaram por não dar em nada, mas seja como for, eu segui para o Algarve, até que um dia recebo um telefonema diferente, de uma das minhas amigas.
É claro que falava assiduamente com o meu grupo de amigas e também com o L. mas aquele telefonema foi para me despertar a atenção para o facto de o L. não ver em mim só uma amiga. Mais tarde vim a saber que este telefonema foi impulsionado por ele, isto é, ele recorreu discretamente a essa minha amiga, que sabia que ela não iria ficar sem me contar nada, e deu-lhe a entender subtilmente que gostava mais do mim do que aparentemente parecia. Eu aí, juntei algumas conversas, algumas atitudes dele e de facto às vezes parecia que as coisas se encaminhavam noutro sentido, mas como nunca tinha havido nada de concreto a fazer crer que as coisas eram assim, fiquei um pouco de pé atrás à espera de novos capítulos…


Nessa altura já eu tinha a minha casa em Quarteira e essa minha amiga, que já namorava com o amigo dele, foi lá passar um fim-de-semana, em que o L. também foi. Pensei que se de facto ele estivesse interessado em algo mais do que amizade, teria dito algo durante esses dias, mas ele não o fez… Pelo que soube depois, foi mesmo por timidez…
Já estávamos no final Julho, numa sexta-feira à noite e eu estava a trabalhar numa loja (porque nessa altura as lojas estão abertas na marginal, até às 23h), para conseguir pagar o empréstimo da minha casa, devido aos atrasos de ordenados da escola, quando ele me liga a perguntar se eu queria ir tomar um café com ele. Eu ri-me e respondi-lhe no gozo: “Claro, se quiseres fazer 300 quilómetros e quiseres vir tomar um café a Quarteira, ‘tás à vontade!”
E ele perguntou-me se eu estava na loja (ela sabia qual era, pois tinha estado lá com o meu irmão no fim de semana da concentração motard em Faro), eu disse-lhe que tinha acabado de sair e que estava numa esplanada com os meus tios do Canadá, ele perguntou qual, que ia lá ter… juro que nesta altura comecei a bater mal… pois apercebi-me que ele estava mesmo ali… Eu só lhe perguntava: “Mas estás a falar sério???”
Acabei por combinar encontrar-me com ele frente à loja, porque não queria que os meus tios me vissem com ele, pois conheciam-no e iam no mínimo achar estranho… Encontrámo-nos então e percebi que ele estava mesmo ali. Fomos dar uma volta, caminhámos pela marginal, estivemos à beira-mar e depois fomos para casa, pois como é óbvio ele não tinha onde ficar. Ficámos a ver televisão até mais tarde e a conversar sobre coisas banais e ele continuou sem me dizer o que estava ali a fazer e eu também não perguntei (como se eu não soubesse! :P).
No outro dia, fomos almoçar e ele lá começou por dizer: “sabes o que vim cá fazer?” e eu que não sou nada mazinha, respondi-lhe “acho que sei, mas estou à espera que me digas…”
É claro que ele não disse nada de jeito! LOL Mas eu percebi a intenção e dias mais tarde no casamento do meu irmão, esclarecemos mais umas coisas, que tinham ficado por esclarecer. Na altura pedi-lhe um tempo, precisava de organizar as minhas ideias, precisava de descobrir se era mesmo aquilo que queria e queria ter a oportunidade de o conhecer um pouco melhor. Durante um mês, saímos várias vezes e houve tempo para eu perceber, que aquela era a pessoa pela qual eu sempre tinha estado à espera!
Iniciámos o nosso namoro a 6 de Setembro de 2002, que dura até hoje, no dia 25 de Outubro de 2003, casámos pelo registo civil, depois de termos enfrentado o meu pai, que se transformou num verdadeiro pai galinha e demasiado protector (e na altura tinha já eu 29 anos e morava fora de casa, imaginem se morasse com ele e tivesse 19 anos!), tivemos muitas chatices, mas agora já passou e com um netinho a caminho, ele já nem se lembra das coisas que fez…
Ah! E tal pessoa com quem o L. andava envolvido antes de mim, ainda se tentou meter entre nós os dois, mas como ninguém lhe deu crédito, acabou por desistir, pois como é óbvio eu iria sempre acreditar no meu namorado e não noutra pessoa e pensamos que mesmo depois de casados, ela ainda lhe enviou umas mensagens sem se identificar, como mais uma vez não ligámos, lá se esqueceu…


Desculpem o testamento e agradeço a quem conseguiu ler até ao fim! Já tentei colocar fotos uma meia dúzia de vezes, mas o blogger hoje também está mal disposto… Mas mais cedo ou mais tarde colocar-las-ei.


P.S. Respondendo a um comentário da Rute, num outro post, eu acho que não fui exactamente muito namoradeira, mas as paixões que tinha levava-as sempre (demasiado) a sério, o que geralmente resultava sempre em mais uma ressaca amorosa… E as paixões que tinha eram quase sempre elevadas à escala de anos, nunca tive uma paixão que durasse menos de um ano, mesmo quando não resultava.
Mas de todas as paixões que tive, apenas 4 me vêem mais vezes à memória, sendo que a primeira durou desde os meus 13 anos até aos 19 e o primeiro amor, por muito mau que seja, nunca se esquece, né? E como consequência, as últimas paixões também são as que hoje ainda perduram, as outras apesar de terem sempre durado mais do que deviam, hoje vejo-as apenas como paixonetas…
Ah! E tive a oportunidade de dar o golpe do baú, pelo menos por duas vezes! Eheheh Mas não dei! :P (por isso, aguardo sempre que me saia um dia destes, o euromilhões! :D)

A dádiva do amor, em que se dá e se recebe, supera qualquer mesquinhez e foi isso que encontrei no homem que tenho a meu lado, não é um homem rico, mas é um rico homem e têm-me feito muito feliz neste 4 anos que tem estado a meu lado! E não podia estar mais feliz neste dia, pois temos o nosso menino a caminho, que nos preenche os pensamentos e a vida! ;)

Este post é dedicado aos meus dois amores, que fazem parte da minha vida e sem os quais já não sei viver. AMO-VOS MUITO!

6 comentários:

Ana disse...

Que linda a tua historia com o teu marido.
Espero que sejam felizes por muitos anos, pelo menos ate ao Gil ter uma meia duzia de netinhos.

Sonhamos Contigo disse...

Qt ao post anterior, parece k sou uma "sortuda" pk podia ter acesso a esse tipo de parto... mas... nao me cativa...
:S
E estas com uma barriga LINDA!!!
:D

Tb fikei felicissima com a noticia do chocolate, pk eu AMO chocolate e se isso fara o meu bebe feliz, melhor!!
;)

Em relaçao a este post, é sem duvida uma linda historia de amor!!E cm tdas, ha smp alguem k se mete no meio, cmg aconteceu o mm... mas com amor td se consegue!!!
E a mostra disso e o bebe k vem a caminho!!!
:D

Jinhos

Sandra J. disse...

EU li até ao fim e adorei a tua/vossa história!
Parabéns!
E que sejam sempre, sempre muuitos felizes!
Bjs

Filipa disse...

Olá Lisa. Não tenho o hábito de visitar blogs mas deparei-me com o teu no inicio da minha gravidez e achei piada por estarmos as 2 grávidas quase do mesmo tempo e de rapazes. Desde então que o visito regularmente. Para além disso tb temos outras coisas em comum como termos começado a namorar com os nossos maridos em 2002 e termos ambas já quase 3 anos de casadas. Eu estou agora com 34s de gravidez e está tudo a correr bem até à data mas ás vezes não consigo evitar ter muito medo que alguma coisa não corra bem com o meu bebé. Também te acontece isso ou sou só eu que sou paranóica? Neste momento este bebé é tudo o que mais desejo!
Parabéns pelo blog, gosto muito!
Beijinhos
o meu mail é fblor@hotmail.com se quiseres trocar impressões!

Gioconda disse...

Muito bem.... apesar de ja conhecer a tua historia li tudo até ao fim e acabei por ficar a saber pormenores que ainda nao sabia...
Um beijinho atrasado para ti e para o L.

Aninhas disse...

MUITOS PARABÉNS!!!

Estavas muito gira!

Beijinhos