quarta-feira, outubro 15, 2008

Mãe sofre...

Desde que viémos de férias que é um desatino deixar o Gil na ama, não há dia nenhum que não fique a chorar... e eu saio de lá triste, sem ter como contornar isto... bem, na verdade isto foi quase sempre assim, mas nos últimos dias tem sido pior!
Hoje não foi excepção, deixei-o nos braços da ama enquanto ele chorava e se debatia para que eu não me viesse embora, dei-lhe um beijo e disse-lhe que mais logo voltava para vir buscá-lo, quase a entrar no carro, ainda podia ouvir os gritos dele.
Sei que depois lhe passa e quando o vou buscar está bem, fica contentíssimo quando me vê e muitas vezes nem quer vir logo embora, mas por muito que não queira, fico sempre triste quando saio de lá, pela manhã.
Sei que esta é uma nova fase para ele, na ama, apesar de ser a mesma ama desde sempre, neste ano lectivo as coisas alteraram-se imprevisivelmente. No ano anterior ele estava com um menino de 3 anos, uma menina 4 meses mais velha e outro menino, o neto da ama, 7 meses mais novo que ele.
Já sabíamos de antemão que o mais velhito ia sair, pois as amas só são atribuidas até aos 3 anos, portanto, supostamente ele iria passar para uma sala no colégio, se houvesse vaga, coisa que sabemos que não houve, porque neste país colocar uma criança num infantário com 3 anos é uma dor de cabeça, mesmo estando lá até essa idade, tal como também aconteceu com a minha sobrinha, mas passando à frente que isso é para outro post, iria ficar ele, a menina e o neto da ama, a quem se juntaria um novo bebé.
Mas as mudanças foram além do previsto e a menina passou para uma sala no infantário e à ama foram-lhe atribuidas mais duas crianças, uma menina de 7 meses e um menino de 9 meses.
O resultado disto é que o Gil se sentiu um pouco abandonado... embora a menina houvesse muitas vezes que não ia, porque estava muitas vezes doente, ele sente muito a falta dela, pois era com ela que mais brincava, talvez por ser mais velha, não sei bem... o outro que era mais velhito, penso que ele não lhe sente tanto a falta, também porque não o vê desde Julho, mas a menina só foi para o colégio há meia dúzia de dias.
O neto da ama, apesar de mais novo também é um pestinha, adora fazer disparates e meter-se com o Gil, que não o suporta, vá-se lá saber porquê... no entanto, nos últimos dias, ele não tem outro remédio senão brincar com ele, pois assumiu assim de repente, o estatuto de mais velho.
Quando às novas crianças da ama ainda só conheci o D. que é um menino de quase 10 meses, super calminho, coisa que o Gil nunca foi! Ainda não tive oportunidade de ver a menina, mas pelo que a ama conta, ela já é "um osso dor de roer" pois passa o tempo todo a gritar e com tudo isto, acredito que a vontade do Gil em ir para lá todos os dias, já não seja a mesma, mas a verdade é que não há outra alternativa e eu tenho esperanças que esta choradeira dos últimos dias, não passe de uma fase idiota...

Sei que estas alterações o têm atingido, mas o meu coração tem sofrido todos os dias e ainda me sinto pior, porque sei que não há nada que possa fazer... consola-me, tão somente, o facto de saber que pouco depois das 18h encontro um menino sorridente e bem disposto, à minha espera!

3 comentários:

Gaivota disse...

Não deve ser nada fácil, não... Eu espero que quando o meu filho for para uma ama ou creche a coisa corra bem...

Beijos

Sandra e Afonso disse...

Lisa,
Deixá-los assim custa tanto... felizmente é raro deixar o meu filho a chorar, mas quando o deixo, quase que me descabelo durante o dia a pensar a nele... e também sei que ele fica bem... mas, mas e mas... não é?
Eu concordo contigo, na volta é mesmo por a Ama ter agora os bebés... é que além de serem mais novos, não são exactamente muito compaheiros de brincadeiras para o Gil...
Este ano também será o último do Gil na Ama, certo?
Beijinhos para ele!
Beijinhos para ti!

Sandra e Afonso
www.bebeafonsinho.blogspot.com

Kya disse...

Para mim, foi uma benção ter encontrado a creche que encontrei para o nosso Gil e ele ter começado aos 6 meses não foi nada da cena horrível que sempre imaginei.. Nunca, no tempo da minha primeira filha, conseguiria deixar um filho meu numa creche, imaginando que eram locais horrorosos, depósitos de crianças ao abandono todo o dia. Agora, é bem ao contrário. Pois quando, no Verão, deixei o Gil uma semana na ama da filha de uma colega minha, senti a diferença abismal (para pior) que seria estar ali o ano todo. As crianças brincavam na casa minúscula, sem espaço exterior, com uma alimentação muito pobre (duas vezes salsichas numa semana para crianças quem deviam comer tal coisa, arroz de legumes congelados com ovos mexidos, enfim... o que vale é que foi pouco tempo), apenas com uma pessoa para dar atenção a quatro... na creche, o Gil come MUITO bem, tinha 3 auxiliares para 10 bebés, agora são duas e uma educadora porque já está na "sala dos grandes", mas todas ajudam, até a cozinheira ou a indiferenciada... o Gil adora ir, está sempre ansioso por chegar à salinha, vem embora feliz mas a distribuir muitos "xaus" e beijinhos por elas todas... Bem, isto para dizer que tenho muita sorte, realmente. Sei o que foi uma filha odiar o infantário todos os dias e quanto sofria com isso, sem alternativas. É muito duro. Oxalá essa fase passe depressa, por aí. Que não seja só na escola primária, como foi o caso da Ana, o que só me deu a certeza que o defeito estava na educadora (mas isso são conta de outro rosário). Bjs