sexta-feira, maio 11, 2007

Isto só a mim!

Como costuma ser habitual, sempre que há um baptizado pais e padrinhos têm de assistir a uma reunião de preparação para o baptismo, já sabemos que isso depende de paróquia para paróquia e mesmo de padre para padre.

Eu já tinha dito ao L. que não me apetecia nada aturar essas secas, até porque eu não sou crente e não acredito em nada disto, apesar de respeitar. Mas já sabia que não me ia conseguir esquivar da famosa reunião. Então lá fomos nós enquanto pais e levámos atrelados o futuro padrinho e a futura madrinha, que até tentou que lhe passem o papel na paróquia dela, mas exigiam-lhe o Crisma.
Aqui a exigência resume-se a que se os padrinhos fossem casados, o que não é caso, teriam de ser pela Igreja e que pelo menos um dos padrinhos tivesse a 1ª comunhão. O padrinho é apenas baptizado, mas a madrinha fez a 1ª comunhão. O que o padre disse foi que se não se reunissem estas condições, também não havia problema já que os padrinhos escolhidos pelos pais, podiam servir apenas como testemunhas.
A reunião já começou com algum atraso e estendeu-se para além do esperado. Havia imensa gente e lá aguardamos pelo início. Começou muito bem, com a oração do Pai Nosso - cof, cof, como se eu soubesse alguma coisa de rezas! - depois o padre começou a explicar como se iria processar o Baptismo, coisa que para mim não foi novidade nenhuma, pois o baptismo do meu afilhado foi há meia dúzia de meses.
O mais engraçado foi o testemunho de dois jovens casais, onde curiosamente, elas trabalhavam as duas no Centro Paroquial, que conveniente, heim?
Bem foi uma seca que nem vos digo nada! Contaram lá a vidinha deles, que foram baptizados e que isso mudou a vida deles, que era uma semente que tinha ficado para sempre (a minha perdeu-se com certeza!) e que era muito importante. A páginas tantas dizem que o baptismo é uma coisa séria e que não se deve fazer apenas pela festa e por ser tradição. Eu olho para o L. e lanço-lhe um dos meus sorrisos maliciosos! :P
O L. é que desejou o baptismo do Gil e a razão é mesmo por ser algo comemorativo e passivo de festa! Ele lá alega que se um dia o Gil quiser ser padrinho de alguém ou casar pela Igreja, já tem o baptismo... Já que eu continuo a afirmar que devia ser ele a escolher o seu caminho, quando o desejasse. O L. fez um sorriso meio amarelo como quem diz "pronto está bem, tens razão!"
Mas o mais engraçado foi quando uma das testemunhas relata o baptismo todo do filho mais velho, que foi feito numa vigília pascal e que tinha sido muito complicado, mas não explicou o porquê da complicação (tanta conversa sem sentido, ai balhamedeus!), mas que tinha valido a pena e que "agora olhava para aquela criança e via nela Jesus Cristo".
Eu não me contive, virei-me para trás para os meus cunhados e disse: "Ai isto deve ser porque não chora tanto como o meu filho!" É claro que quem estava a trás começou logo a rir-se! :P
Resumindo tivemos ali mais de uma hora a ouvir contar a vida dos dois casais e dos seus baptismos, ah e tal e coisa e tal...

Preenchemos uns papéis a comprovar a nossa presença na reunião e agora temos de reunir umas quantas coisas, para entregar no Centro Paroquial e marcar a data do baptizado. É claro que incumbi logo o L. de lá ir entregar a papelada, afinal ele é quis baptizar o filho! A mim já me calhou o arranjo das outras coisas.
Uma coisa que não achei piada nenhuma, foi terem-nos dado umas folhas com recomendações e até aí tudo bem, mas limitam em muito o trabalho dos fotógrafos, mas agora já não se pode contratar um fotógrafo para um baptismo e pode-se faze-lo para um casamento? Que injustiça e descriminação! Dizem que tem de estar agregado a uma associação qualquer, haja paciência!

Antes de terminar este post, espero com tudo isto não ferir susceptibilidades religiosas. Eu não acredito em Deus, mas respeito quem acredita e de facto não sei se o meu filho será crente ou não. Desta forma, espero também ser respeitada naquilo que defendo. Eu reconhece-me como agnóstica (e não ateia!), talvez exista um Deus, mas creio que esse Deus está dentro de nós e acredito sobretudo na máxima de que "Não foi Deus que inventou o Homem, mas o Homem que inventou Deus".
Talvez este meu ponto de vista se deva à minha vida académica, mas recordo-me de começar a colocar em causa as teorias religiosas com os meus 14/15 anos, mesmo depois de ter frequentado a Igreja e a disciplina de Religião e Moral, onde tirava sempre nota cinco. Mas é claro que o estudo de determinadas correntes veio evidenciar e delinear mais concretamente as ideias que já tinha. Nietzche foi um grande aliado nestas minhas buscas de identidade e de dúvidas existenciais.

A propósito, alguém viu o programa do Luís Goucha esta semana em que um rapazito se apresentava como sendo Jesus Cristo? Proclamava-se rei e queria destituir os nossos governantes para poder reinar no nosso país. LOL Também que belo país ia ele governar! :P
E dizia que Portugal e Espanha iam ter muita festa, mas os restantes países iam sofrer, nem sei porquê! Aí o que eu me ri! :P Realmente governar em Espanha já era outra coisa!

Desculpem lá o testamento...

12 comentários:

)0( disse...

Nós não casámos pela Igreja e decidimos não baptizar a Tati. O J. tb é agnóstico e eu sou pagã (ou como alguns preferem chamar neo-pagã) e portanto tenho uma espiritualidade muito própria.
Não vou impôr nada à minha filha embora respeite todas as decisões que ela tome. Se um dia quiser ser baptizada quero que o faça em consciência e serei a 1ª a apoiá-la. Isto levantou algumas vozes mais tradicionalistas na família que exprimiram a sua indignação ("Ó balha-me deuszzz!Cruzes canhoto!E se a menina morre??") pelo facto de não baptizarmos a miúda.
Parecem esquecer-se que Jesus foi baptizado já adulto.

Qto ao programa do Goucha não vi, mas deve ter sido hilariante.
Xiii!! Desculpa lá o testamento. Às vezes entusiasmo-me LOL
Beijos para vocês.

Ana Luísa disse...

Não vi o programa do Goucha, há com cada um...

Em relação a tudo o que descreves, identifico-me contigo... Nós somos casados apenas pelo civil por opção. Já em relação ao baptizado, eu gostava de baptizar o Francisco porque acredito num Deus à minha maneira mas de forma alguma acredito na Igreja e seus procedimentos... É um contra senso eu sei...
Já o pai pensa exactamente como tu e não quer baptizar o Francisco, só quando ele perceber e souber se quer ou não...
Andamos em negociações :D
Quanto a essas sessões devem ser realmente uma seca :S
Beijos grandes e bom baptizado!

Kya disse...

Eu sou pior do que tu, pois nem pela tradição e pela festa me levam a essas coisas, que considero, acima de tudo, grande hipocrisia... mas, como também não quero ferir susceptibilidades, não vou alongar-me sobre o que penso :))) Acho que sou mais "católica" do que muita gente, mas não preciso de rituais para isso. E tb houve gente que me disse, quando a minha filha tinha cólicas horríveis, que lhe passavm se fosse baptizada, pois ela estava como que "possuída"! Fui baptizada por pressão familiar, mas nunca frequentei a catequese, nem missas, não percebo nada dessas coisas, sou totalmente agnóstica! Só não bati nessa gente porque achei que não sabiam o que diziam e mereciam, antes, a minha pena :p Olha, paciência para ti e boa festa! bjs

Moura ao Luar disse...

Opá na vejo o Goucha pk tou a bulir, mas se visse acho que ainda tinham que me levar po hospital com ataque de riso. Olha eu concordo contigo, vivo junta, a minha sogra ta desejosa de nos fazer o casamento, a minha mae nao tanto mas sei que tb iria gostar, quando falo em casamento é pela igreja claro. Quanto ao baptizado é algo que passo à frente mas acho que se tiver filhos com o M. vou ter que gramar a pastilha, bom mas mal tb n faz né??

May disse...

Pois eu sou mesmo ateia, nem vale a pena dizer que não me casei pela igreja e que não pretendo baptizar filho nenhum, né?
Tenho sorte porque o meu marido é como eu.
Mas sendo a minha família toda católica, e tendo eu andado na catequese e feito a 1º comunhão, houve algumas pressõezitas para seguir algumas tradições. Claro que desistiram logo (já conhecem o meu mau feitio, LOL).

Mas olha, que ao menos a festa seja bonita e que se divirtam (na medida do possível).

Tenho é pena de não ter visto o programa do Goucha (ai, o que eu me ía rir...)!

Beijos

Cláudia disse...

Olha, eu respeito muito as tradições e as ideologias religiosas de cada um. Não gosto que me impinjam as coisas.
Felizmente, tanto o meu marido como eu não desejamos baptizar a Dani. Além de não termos estômago para esse tipo de reuniões (grande seca. A pachorra que vocês têm!) também não gostamos de cerimónias em igrejas.

A minha mãe não concorda muito com a nossa ideia de não baptizar a Daniela, e deixá-la tomar essa decisão no futuro. Mas acho que é mais pela festa que por outra coisa... lol

Bom fim de semana

Carla disse...

Pois, aqui também temos uma ateia. A mim baptizaram-me e já se arrependeram LOL porque durante a adolescência disse ao meu pai que ele não tinha nada de o ter feito sem me consultar... (não sou boa res). Vivo junto com a cara metade que também é ateu e cuja família, se esqueceu (ainda é pior do que eu) de o baptizar. Assim nunca me passaria pela cabeça baptizar o Pedro. Mas respeito as decisões de todas as pessoas que decidem baptizar e casar pela Igreja, ou não fosse eu a todas essas festas, quando me convidam, e gosto muito de estar presente.

Beijos

Ana disse...

Eu acredito em Deus, mas nao sei nada de rituais de igrejas, missas, conversa de padres e coisas assim. Fiz a primeira comunhao (nem sei como) a unica coisa que me ficou na memoria foi o Pai-Nosso e Ave-Maria mais nada, mas essas coisas para mim nao teem importancia,quantas pessoas sao papa-missas e teem a alma negra.
A relacao que tenho com Deus desde muito pequena e limpa, simples mas com muita fe.

Cláudia disse...

Vim deixar uma beijoca grande e dsejar um bom fds.
Acredito em Deus mas não conordo com tudo o que a igreja diz ou faz. Não me feriste em nada...
Bjs grandes

Maria disse...

Confesso que a minha fé foi muito abalada com morte da minha mãe, mas sempre acreditei que havia algo superior a nós, que nos ajudava a viver e a destinguir o Bem do Mal. Gostei de me casar pela Igreja e tb de batizar o meu menin. Já apanhei muitas secas dessas, pois sou madrinha de 4 crianças, por isso imagina.

Infelizmente, a Igreja em vez de tentar cativar as pessoas, parece que tudo faz para as afastar, como por exeplo, estas reuniões completamente desfazadas da nossa realidade actual.

Beijocas e bom fim de semana

Maria Pereira + João Dinis (27 meses)

Ruivita disse...

Oi amiga.
Quanto a mim não feriste nada! Eu sou catolica mas não praticante, já fui escuteira e ia sempre à missa, mas não tenho 1ªcomunhão, sou apenas batizada. Quando era pequena sonhava em casar pela igreja, mas agora tenho outra maneira de ver as coisas. Passei a não concordar com algumas leis que a igreja tem. Mas mesmo assim queria muito batipzar o Cris.

Sim eu vi o Voce na TV, mas quando vi anunciar esse homem, nem liguei importancia, pois vi logo que era um maluco qualquer LOL!

Beijinhos grandes
Ângela e Cris
http://blogs.portaljunior.com/babycris

Sofia disse...

Eu também sou agnóstica e por mim não baptizo o Gonçalo.
Mas o pai também conta aquela história de que se ele depois quiser casar... mas também pode ser baptizado mais tarde. Conclusão, ainda não sei se o baptizamos ou não.
Quanto à seca das reuniões, olha, ainda te divertes um bocado. Eu também antes de casar tive umas reuniões que pareciam um filme!!
E essa do programa do Goucha, há malucos para tudo!!

bjs